Quais são as melhores novidades do seguro auto do mercado? Siga a Compareemcasa nas redes socias e esteja sempre atualizado sobre o mundo automotor.

Quem já teve experiência na busca de um seguro auto, conseguiu perceber que o preço varia conforme uma série de fatores. A idade, o sexo e até o estado civil do motorista podem influenciar favorável ou desfavoravelmente no valor da apólice. Por exemplo, homens costumam pagar mais caro pelo seguro. O principal motivo é que as mulheres são mais prudentes e cuidadosas ao volante; logo, o sexo feminino se envolve em menos acidentes de trânsito. Por outro lado, as pessoas casadas saem favorecidas na hora de contratar um seguro de carro. Por quê? Porque quem é casado apresenta um comportamento mais prudente em relação à utilização do veículo do que um solteiro.

Portanto, podemos concluir que, em relação ao cálculo do preço de uma apólice, as seguradoras seguem uma premissa básica. Anderson Mello, diretor de automóveis da SulAmérica Seguros resume o assunto da seguinte forma: “Quanto maior o risco, maior o prêmio.” Em outras palavras: quanto maior o risco representado pelo motorista ou pelo veículo, maior será o preço que o segurado deverá pagar.

O que acontece com o fator etário? A idade é um fator poderoso na hora de decidir quem paga mais caro ou mais barato pelo seguro. Então, qual a faixa etária que vai sentir peso no bolso na hora de proteger o seu carro? As estatísticas e os especialistas no assunto nos ajudam a desvendar a incógnita. Segundo informações divulgadas pelo Portal do Trânsito, a maior parte das vítimas de acidentes de trânsito tem menos de 35 anos. Nereide Tolentino, consultora do Instituto Nacional de Segurança no Trânsito, afirma: “Os acidentes mais graves são com os jovens.” De acordo com a psicóloga, quase 70% dos acidentes fatais no Brasil envolvem jovens de 18 a 25 anos.

Portanto, a resposta é óbvia: o seguro de carro é mais caro para motoristas jovens. Devido à escassa experiência ao volante, exposição a roubos e furtos por saídas noturnas, etc., eles apresentam um comportamento de maior risco para as seguradoras. Portanto, irão acionar o seguro com mais frequência do que um adulto experiente. Por conseguinte, é importante estar atento a este assunto para evitar surpresas na hora de contratar um seguro.